Se você possui um site na internet, já deve ter se deparado com um infinidade de burocracias para instalar ferramentas que ajudam a analisar métricas do seu domínio. Geralmente, é preciso inserir códigos no seu site para que essas ferramentas sejam integradas ao seu serviço. E tudo só piora se você não possui conhecimentos suficientes de programação. Se esse é o seu caso, tenho uma pergunta: você já ouviu falar no Google Tag Manager? 

Essa ferramenta ainda é pouco usada por profissionais do ramo do Marketing Digital. Apesar de ser muito popular na área, são poucas as pessoas que sabem o que é o Google Tag Manager, porque é tão importante usá-la e como fazer isso. Elas também não sabem como a utilização das tags dessa ferramenta melhoram a performance de um site.

Neste artigo, preparei um guia completo sobre o Google Tag Manager, para você tirar todas as suas dúvidas sobre o programa e passar a usá-la agora mesmo. Você vai ver como é possível facilitar o seu trabalho com o blog, além de diminuir a dependência de um desenvolvedor ou programador para executar tarefas. Vamos nessa? 

O que é o Google Tag Manager? 

O próprio nome já diz: a ferramenta nada mais é do que um gerenciador de Tags. Para ser mais exato, o Google Tag Manager é um gerenciador de scripts. 

Como assim, Adriano? 

Imagine só: você tem um site. E para gerenciar melhor esse site e entender mais sobre o seu público-alvo, visualizar dados de acesso, e por aí vai, você decide instalar o Google Analytics. Ou um pixel de remarketing do Google Ads. Para realizar essas tarefas, é preciso instalar o código do Google Analytics dentro do seu site, certo? 

Se você não possui conhecimento em programação, provavelmente vai pedir para um programador realizar essa tarefa no seu lugar. Se você tem uma empresa grande, é possível que tenha um time estruturado para lidar com essas ocorrências; mas também pode acontecer do seu time ter tarefas prioritárias na frente para realizar. Se você possui uma empresa pequena, pode ser que nem tenha alguém no seu time para realizar essa tarefa. 

O Google Tag Manager é uma ferramenta que resolve esse e outros problemas que envolvem a implementação de códigos no seu site. Ele dá uma autonomia para o empresário executar a tarefa sem depender de outros profissionais e de forma rápida. 

Como instalar o Google Tag Manager? 

O uso do Google Tag Manager é gratuito e simples de ser executado. A seguir, vou ensinar como instalar a ferramenta com os seguintes passos: 

  • Como criar uma conta
  • Como instalar o pixel do Google Tag Manager 

Como criar uma conta no Google Tag Manager

Acesse o Google e pesquise por “Google Tag Manager”. Clique no primeiro resultado da pesquisa. 

google tag manager 

Em seguida, clique em “Inscreva-se agora”. Para fazer isso, é preciso ter uma conta Gmail. Você também poderá usar uma conta de e-mail do seu próprio domínio, desde que ela seja uma conta do Google Ads. 

Faça login na plataforma fornecendo os seus dados. 

Ao acessar o Gerenciador de Tags, você verá uma tela parecida com a imagem abaixo. A primeira coisa a se fazer é adicionar e configurar uma nova conta. Insira, portanto, o nome da sua conta ou empresa. A opção “Compartilhar dados de forma anônima com o Google outros” deve ser ativada apenas se você desejar compartilhar dados com o Google, para que ele possa fazer comparações e benchmarking. Em seguida, clique em “Continuar”. 

A seguir, será necessário configurar o contêiner. Mas o que é isso?  

Contêiner é o site em que você usará o código. Recapitulando: com o Tag Manager você tem um único código que vale para um único site cadastrado. Dentro desse site você poderá ter inúmeros código. Ele é um contêiner, uma caixa onde você colocará vários códigos. Ao invés de inserir inúmeros códigos manualmente, você terá um contêiner com todos  os códigos inseridos via Tag Manager. Ou seja: todo código que você inserir dentro deste contêiner irá para o site. 

Em “Nome do contêiner” você não precisa necessariamente colocar a URL do seu site. Basta identificar com um nome fácil de lembrar. No exemplo abaixo, por exemplo, usei “Site Adriano Gianini”.

A seguir, é preciso informar o local em que o contêiner será usado. As opções são: 

  • Web
  • iOS
  • Android
  • AMP

Se o local for o seu site, escolha a opção web e clique em “Criar”. 

Em seguida, o Google Tag Manager irá disponibilizar o Contrato de Termos de Serviço do Gerenciador de Tags do Google. Após ler o conteúdo, clique em “Sim” no canto superior direito da página para continuar com a configuração da plataforma. 

Como instalar o pixel do Google Tag Manager

Feito isso, o Google Tag Manager irá carregar as suas informações. Após o processamento ser concluído, você vai visualizar uma página como essa aqui embaixo: 

É possível ver dois códigos gerado pelo Google Tag Manager. Preste muita atenção nos passos a seguir. 

Por que o Google Tag Manager gera dois códigos? Quando estamos falando de scripts, existem aqueles que só funcionam na tag <head>, que é o cabeçalho da página; e existem aqueles que só funcionam na tag <body>, que é o corpo da página. Logo, você tem que colocar cada um desses scripts nas devidas tags dentro do seu site. 

Atenção: você não conseguirá habilitar o Google Tag Manager se implementar o código apenas na <head> ou na <body>. É preciso inserir os dois. 

Se você possui um site com o CMS (Content Management System) WordPress, tenho uma ótima notícia para você. O que mais existe é plugin para WordPress que facilitam a instalação do Tag Manager. 

Como assim, Adriano? 

Se você olhar detalhadamente o código fornecido pelo Google Tag Manager, verá que ele oferece uma chave única dentro dos códigos: 

Quando você tem um site WordPress e você usa o plugin do Tag Manager, será preciso apenas inserir esse código dentro do plugin instalado no WordPress. Ou seja, acesse o painel do seu site em WordPress, como na imagem abaixo. No menu lateral, clique em “Configurações”. 

Em seguida, clique em “Google Tag Manager”. Depois, procure o campo “Google Tag Manager ID” e insira a chave que consta no código, como mostra a imagem abaixo. Clique em “Salvar Alterações”. 

Pronto! Você já poderá usar o Google Tag Manager no seu site. 

Agora, se você não usa WordPress, é preciso inserir o código manualmente no seu site. Para isso, é preciso ter um conhecimento básico em HTML. Se esse não é o seu caso, é preciso contatar a pessoa que administra o seu site ou programador para que ele realize essa tarefa. 

Mas você não falou que eu não vou precisar mais de programador? 

Você só vai pedir a inserção de código uma única vez. Quando o Google Tag Manager estiver instalado, os seus problemas acabam. 

E lembre-se: se você delegar esta tarefa a alguém, não esqueça de avisar que os códigos devem ser inseridos nas tags <head> e <tag>, respectivamente. 

Após inserir o código no seu site, volte até o Google Tag Manager e dê “Ok”. 

A partir do momento em que o código for inserido, você já poderá administrar o seu site a partir do Google Tag Manager. Agora é hora de aprender a usar o ferramenta. Veja como criar e subir tags e outras atividades que podem ser realizadas por meio da plataforma. 

Como adicionar e remover scripts no seu site? 

No página inicial do Google Tag Manager você conseguirá ver todas as suas contas e, dentro de cada uma, os contêineres cadastrados na plataforma. Dentro de uma única conta é possível ter mais de contêiner cadastrado, como podemos ver na imagem abaixo. Cada contêiner é um estrutura ou site vinculado àquela conta. Na minha conta Adriano Gianini, por exemplo, tenho dois contêineres: o blog (essa plataforma na qual você está lendo este artigo) e a minha página de materiais gratuitos. 

Todos os scripts que eu desejar colocar dentro do meu blog, por exemplo, serão colocados dentro do contêiner Blog AG. Uma dúvida que pode surgir é a seguinte: preciso criar um contêiner para cada página do meu site? A resposta é não! Tenha um único contêiner para o site inteiro e você conseguirá administrar scripts em todas as páginas do seu domínio.

Uma das coisas mais legais do Tag Manager é que ele permite que você coloque scripts nas páginas que desejar. Assim, você pode inseri-los em todas as páginas do site, menos na home; ou em uma combinação específica de páginas, por exemplo. Dá para fazer muita coisa por meio dessa ferramenta.       

Para trabalhar os scripts é preciso entrar em um contêiner. Todo script, seja ele do Google Analytics, pixel de remarketing ou pixel de conversão será sempre inserido no site dentro de um contêiner. É como se por meio do Google Tag Manager você acessasse o código fonte de um site para implementar o script desejado. 

Ainda na home você pode administrar as configurações e atividade da conta, assim como o gerenciamento de usuários ao clicar nos três pontinhos indicados na imagem abaixo. Caso seja necessário dar acesso a outra pessoa que vai administrar a conta junto com você, é só clicar em “Gerenciamento de usuários” para liberar o acesso. Você também pode criar outro contêiner dentro da conta clicando nesse mesmo botão. 

Por dentro do contêiner no Google Tag Manager

Então vamos começar: escolha um contêiner. No exemplo abaixo, escolhi o do Blog AG. 

Perceba que você entrará no espaço de trabalho do site. Nela, é possível visualizar a versão atual do contêiner. Essa versão nada mais é do que a última atualização de scripts feitas no seu site. A cada vez que uma atualização é feita, uma nova versão é gerada. Assim, você terá controle de quais scripts foram adicionados, quais foram excluídos etc. 

Em “Editando”, você terá um resumo de alterações na área de trabalho. É possível ver de forma rápida quais scripts foram modificados, adicionados ou excluídos. 

Logo abaixo, é possível adicionar uma nova tag ao contêiner. 

As duas seções que você mais vai utilizar dentro do Tag Manager é a “Tag” e a “Acionadores”, que estão localizadas no painel lateral esquerdo. Vamos começar desvendando a função “Acionadores”. 

Como adicionar um acionador no Google Tag Manager

Uma das grandes sacadas do Google Tag Manager é que você consegue definir quando um script será acionado. Vamos usar como exemplo o Google Analytics. É comum que o GA seja acionado em todas as páginas do seu site. Ou seja, não importa qual o link acessado, o Analytics deve ser carregado. Então você pode dizer ao Tag Manager que o acionador será todas as páginas. 

Para fazer isso, clique em “Novo”. 

Em seguida, dê um nome ao seu acionador. No exemplo, usei “Blog Adriano – Todas as páginas”. Em seguida, clique em “Configuração do acionador”. 

Agora é hora de escolher o tipo de acionador. O Google Tag Manager disponibiliza inúmeras opções. Não se preocupe em aprender sobre todas elas de uma vez. O objetivo deste artigo é fazer com que você consiga usar o Google Tag Manager e migrar todos os seus scripts para a ferramenta.  

Para o exemplo que estamos usando, usarei o acionador “Exibição de página”. 

Agora é hora de definir se esse acionador será disparado em todas as páginas ou somente em algumas exibições. Bom, como estamos usando o exemplo do Google Analytics e essa ferramenta deve ser acionada  em todas as páginas, vamos escolher a opção “Todas as páginas”. A seguir, clique em “Salvar”. 

Então todas as vezes que você quiser instalar um script que seja acionado em todas as páginas, você poderá usar esse acionador que acabamos de criar. Para ficar mais fácil de entender: o acionador nada mais é do que uma indicação de quais páginas o script deve ou não funcionar. Vamos criar outro? Clique novamente em “Novo”. Em seguida,dê um nome para o novo acionador. Nesse exemplo, irei criar um acionador para a página inicial do meu blog, a home, apenas. Portanto, dei o nome ao acionador de “Blog Adriano – Página Inicial”.

Em seguida, clique novamente em “Configuração do Acionador” e escolha a opção “Exibição de página”. Agora, ao invés de escolher “Todas as exibições de página”, vamos escolher “Algumas exibições de página”. Na primeira caixa, escolha a opção “Page URL”. Na segunda caixa, escolha a opção “é igual a”. Na terceira, insira a URL da sua página inicial, como na imagem abaixo. 

Se você quiser colocar em mais de uma página além da página inicial, clique em “+” no canto inferior direito da página e escolha as configurações da página adicional. Clique em “Salvar” e você terá dois acionadores disponíveis para serem usados no seu Google Tag Manager. 

Agora é hora de criar tags. No menu lateral esquerdo, clique em “Tags”. Vamos começar a inserir os seus scripts. Clique em “Nova” para criar uma nova tag. 

Como inserir script do Google Analytics no Google Tag Manager

Vamos começar pela principal ferramenta que deve ter um script adicionado ao seu site: o Google Analytics. Após clicar em “Nova”, dê um nome para a sua tag. No exemplo, usei o nome “Google Analytics – Blog Adriano Gianini”. Em seguida, clique em “Configurações da tag”. 

Agora o Tag Manager vai pedir para que você escolha o tipo de tag. O Tag Manager já traz vários tipos de tag para você escolher. Recomendo que você dê uma olhada com calma, porque tem muita coisa que pode ser útil para o seu site. Caso você não encontre a tag que está procurando, role a lista até encontrar a opção “HTML personalizado”. O pixel do Facebook, por exemplo, deve ser inserido por meio desta tag personalizada, como mostro na imagem abaixo. 

Se você usa o script de um programa X que não está listado pelo Google Tag Manager, você também deverá usar a opção “HTML personalizado”.  

Voltando à instalação do script do Google Analytics, vou escolher a opção “Universal Analytics”.

Em “Tipo de Acompanhamento” vou escolher a opção “Visualização de página”. 

Logo abaixo, selecione a opção “Acionamento”.

Lembra que definimos alguns acionadores no começo deste tutorial? Pois bem, agora eles serão usados para definir quando o script da ferramenta desejada, no exemplo o Google Analytics, deverá ser acionada. Se eu escolher o acionador “Blog Adriano – Página Inicial”, por exemplo, o Google Analytics só será carregado na página inicial do meu site.

Essa escolha faz sentido para esse tipo de script? Não, porque se você deseja consultar no Analytics as visualizações de páginas do seu site, é preciso que o script seja carregado em todas as páginas. Portanto, é esse acionador que você irá escolher; no meu caso, o acionador “Blog Adriano – Todas as páginas”.     

Todo script que você criar no Google Tag Manager deve ter um acionador. É essa a sua forma de controlar quando os scripts serão ou não carregados no seu site. Perceba que também há uma opção de configuração chamada “Adicionar exceção”. 

Nela, você poderá indicar ao Google Tag Manager quais páginas não deverão carregar o script. Se for preciso, crie o acionador necessário para essa tarefa, caso ele ainda não exista. 

Até aqui em nosso tutorial não adicionamos o código da nossa conta do Google Analytics. É hora de fazer isso. Volte para as “Configurações da tag” e, em seguida, clique em “Configurações avançadas”. 

Em “Opções de disparo da tag” selecione a opção “Uma vez por página” ou “Uma vez por evento”. 

Em seguida, ative a configuração de modificação nessa tag. Logo depois, digite o código de acompanhamento do seu Google Analytics na janela indicada. Esse código é próprio do seu acesso na ferramenta. Clique no ícone ao lado do campo vazio, como indicado na figura abaixo. 

Em seguida, clique em “Configurações do Google Analytics”. 

Pronto. Como no meu exemplo as contas são integradas, o código foi preenchido automaticamente. Caso você não tenha essa integração, você poderá inserir o código manualmente. Agora, clique em “Salvar”. 

É possível editar qualquer tag que você tenha criado no Tag Manager. É só clicar em cima da tag para editá-la. 

Agora que você criou a sua tag ela já está no ar, certo? Errado! Você precisa clicar em “Enviar” no canto superior direito da página para que isso aconteça. Inclusive, você pode adicionar 10 scripts e enviá-los todos juntos de uma vez só repetindo o processo acima. 

Ao clicar em “Enviar”, recomendo que você indique qual é a versão do envio. Em “Nome da versão”, por exemplo, vou escrever “Versão com Google Analytics”, pois nessa atualização inseri a tag do Google Analytics. Em “Descrição da versão” é possível detalhar ainda mais os processos realizados nesta sessão do Google Tag Manager. No exemplo abaixo, escrevi que foi colocado o script do Google Analytics Universal. Clique em “Publicar”.

Depois que a sua tag for publicada, ela estará no ar. Mas como eu faço para saber se ela está funcionando? Recomendo que você faça download de um plugin chamado “Tag Assistant”. Adicione este plugin ao seu navegador, acesse-o e ele te mostrará quais são os scripts que estão rodando nesta página. 

Sempre que você fizer uma alteração no Google Tag Manager, use esse plugin que indiquei para ver se elas estão funcionando. Assim, você vai garantir que os seus dados estão sendo monitorados e coletados com segurança e sucesso. 

Como instalar o script de Remarketing do Google Ads

Repita o processo de criação de tag. Cliquem em “Nova” e, em seguida, em “Configuração da tag”. 

Escolha a tag “Remarketing do Google Ads”. Perceba que os dados solicitados pelo Tag Manager diferem daqueles pedidos na instalação do script do Google Analytics e isso é normal. Cada tag terá sua próprios especificidade de dados. Aqui, para instalar o pixel de Remarketing do Google Ads, você terá que fornecer o código de conversão e o rótulo de conversão. Se você clicar em “?” ao lado do título dos campos em branco, verá instruções detalhadas de onde encontrar esses códigos solicitados. 

Em “Parâmetros personalizados”, marque a opção “Usar camadas de dados” e “Configurações do Google Analytics”. Quando você usa o acompanhamento de conversão junto com o Google Analytics e por meio do Google Tag Manager, você resolve um bug de conversões inexistentes no Google Ads. Esse processo diminui bastante esse problema e é por isso que hoje eu só uso o Google Tag Manager para tudo. Não se esqueça de “Salvar” e, em seguida, clicar em “Enviar” para que o seu script seja publicado. 

Conclusão

Você acabou de acompanhar um tutorial completo para adicionar scripts de ferramentas como o Google Analytics diretamente no seu site por meio do Google Tag Manager. 

Com este tutorial, foi possível aprender a criar um conta no Google Tag Manager e a configurá-la para que todos as tags instaladas na ferramenta seja implementadas no seu site.

Em seguida, expliquei o passo a passo para você adicionar o script do Google Analytics ao seu site. 

Também recomendei um plugin excelente para você instalar no seu navegador e monitorar se as tags e atualizações feitas no Tag Manager estão funcionando. Assim, os dados da sua audiência não deixarão de ser coletados e você poderá analisar os seus resultados com congruência.  

Tudo o que você precisa para usar o Tag Manager, que é de uso comum no dia a dia, você viu neste tutorial. Outras configurações mais avançadas podem ser visualizadas no meu curso Máquina de Tráfego e Conversão. 

Assista aos vídeos completos com o tutorial de Google Tag Manager abaixo.


Adriano Gianini
Adriano Gianini

Adriano Gianini é Consultor, Professor, Palestrante e Especialista em Marketing Digital há 10 anos. É também especialista em Tráfego e Conversão, Google Ads, Facebook Ads, Inbound Marketing, Métricas, BI e Negócios.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.