O que é Machine Learning e como isso vai mudar completamente a forma como você trabalha as suas campanhas do Google Ads?

Esse é o primeiro artigo de um total de cinco, que escrevi sobre machine learning. Nessa série, eu vou falar tudo o que você precisa para entender sobre Machine learning, como isso vai impactar completamente a forma como você cria as suas campanhas e principalmente, tudo o que você precisa saber para implementar lances inteligentes na sua conta do Google Ads.

O que é Machine Learning?

De maneira simples, vamos entender o que significa Machine Learning. Numa tradução livre, significa aprendizado de máquina. No fundo, nós estamos falando de inteligência artificial, mas eu quero contar uma história um pouco melhor, para que o entendimento fique mais fácil dentro do Google Ads.

Imagine que em algum momento da sua vida você decidiu criar uma campanha no Google Ads. Como todas as pessoas normais, você enfrentou desafios. A sua conta gastava muito dinheiro, você não conseguia fazer um anúncio chamar atenção. Mas você foi obtendo experiência, e quanto mais você aprendia, mais conseguia definir melhores palavras chave e criar anúncios que recebiam mais cliques. Ainda assim, tinha um grande desafio: Fazer os seus anúncios converterem. Seja em pedidos de orçamento, em solicitações de contato ou, em vendas diretas.

Só que você não desistiu. Continuou aprendendo e aprendendo! E quanto mais você aprendia, mais conseguia fazer suas campanhas receberem conversão. Como se isso não fosse bom o bastante, você continuou aprendendo até que suas campanhas passaram a receber muitas conversões. Faz sentido que isso é a realidade de muitas pessoas que já alcançaram uma maturidade em uma conta do Google Ads?

Ou seja, você começou cheio de desafios, foi aprendendo, errando aqui, errando ali, mas em algum momento você acertou a mão. Você entendeu quais eram as melhores palavras chave, quais eram os melhores anúncios, os melhores títulos, como otimizar página, e aí suas contas começaram a performar, performar e performar!

Se eu perguntar pra você, que já está nesse nível, você falaria algo como: “Ah, eu entendi que o meu usuário faz isso, faz aquilo, o comportamento dele é esse. Eu entendo que no dia x da semana ele compra mais, mas no fim de semana ele não compra de jeito nenhum. Eu entendi que depois da meia-noite nem vale a pena ter campanha no ar, por isso eu tiro. Eu entendi que o usuário que vem do dispositivo móvel não compra de jeito nenhum, ou pode ser o contrário, só compra quem vem do dispositivo móvel”.

Eu estou falando de inteligência, percebe? Aprendo e me torno mais inteligente. O ser humano tem essa capacidade de aprender e melhorar. Você poderia imaginar que seria possível uma tecnologia que passasse por esse processo de aprendizagem que você passou, para que suas campanhas pudessem melhorar? Isso é o Machine learning! Ficou mais claro? E por que ele existe? E principalmente,  por que ele vai mudar completamente a forma como você cria suas campanhas?

O Poder do Contexto

Durante muito tempo, as pessoas se apegaram a uma única coisa no Google Ads, e claro, eu estou dando uma generalizada. Mas, em termos estratégicos, as pessoas sempre buscavam pelo menos uma coisa: quais palavras chave mais convertiam. Era basicamente esse o grande desafio inicial. “Eu preciso achar as palavras chave”.

Depois, quando você ficava um pouco mais experiente, você entendia que não era só palavra chave, que uma série de sinais contextuais que contribuíam para a conversão. Mais uma vez,  vou citar um exemplo que já dei. Se estou criando uma campanha e o usuário está acessando em horário comercial, tem muito mais chance dele converter. Isso é um sinal contextual! Ou seja, se ele pesquisar por determinada palavra chave, no horário comercial, eu já tenho dois pontos aí. Percebe?

Palavra chave + horário comercial = Contexto! Ele tem maiores chances de conversão. Se ele pesquisa aquela palavra chave (contexto 1), durante o horário comercial (contexto 2) e usando celular (contexto 3), ele tem muitas chances. Hoje em dia, há uma quantidade gigante de sinais contextuais, que não dá para fazer uma análise apenas sendo um ser humano. O Google, com o aprendizado de máquina avançado (Machine Learning), vai aprendendo o tempo inteiro sobres esses sinais contextuais que mostram um comportamento e uma maior ou menor chance de compra do seu usuário. Por que tudo isso foi criado? Por que tudo isso existe e continua sendo melhorado? Para que o Google consiga analisar todos esses sinais contextuais e consiga calcular uma maior probabilidade de conversão.

Se você é um usuário que ainda está criando campanhas ou ainda está administrando-as com lances manuais (com CPC manual por exemplo), tenta imaginar o seguinte: Como seria incrível se você pudesse sair de uma busca que iria gastar o seu dinheiro quando o usuário não fosse comprar?! Você provavelmente falaria: “Nossa Adriano, isso é um sonho! Se eu sei que o usuário não vai comprar, por que eu vou aparecer?” Só que isso é uma realidade. Grande parte das vezes em que você aparece, você não precisava aparecer. Porque pelos sinais contextuais, o Google sabe que você não iria receber uma comprar daquele cliente. Mas como você usa lances manuais, você simplesmente está aparecendo para todos os lances.

Inteligência e Aprendizado

Todas as vezes que alguém pesquisa enquanto você tem verba na campanha, você aparece.  Mas o Google com machine learning, “entende” que naquele momento, não era para ele aparecer. Porque essa é uma pesquisa, muitas das vezes, de uma pessoa que só quer uma mera informação, ela não quer comprar. Então, imagine: Você poder saber sinais de compra por dia da semana, por dispositivo, por navegador, por horário que ele pesquisa, se a pessoa está em casa ou no está no trabalho. São tantas variáveis que o Google consegue analisar em tempo real, que são base pra você usar o machine learning. O Google consegue fazer uma previsão com uma probabilidade de conversão na sua conta e toma decisões, do tipo “vou aumentar o lance para você” ou “ vou sair dessa disputa porque não vai ter conversão”.

Nesse momento você deve estar pensando: “Uau, esse tal de Machine Learning que muita gente está falando e eu não tinha entendido, é de fato o futuro das campanhas do Google Ads”, e a sua próxima pergunta pode ser: “Como é possível usar o machine na minha conta?”. Fique tranquilo, pois mais artigos da série serão publicados.

Até o próximo artigo.


Adriano Gianini
Adriano Gianini

Adriano Gianini é Consultor, Professor, Palestrante e Especialista em Marketing Digital há 10 anos. É também especialista em Tráfego e Conversão, Google Ads, Facebook Ads, Inbound Marketing, Métricas, BI e Negócios.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.